Não existe homem como o Valdo

(Por Dora Almeida)

“Na realidade, só existe uma franqueza,

que é a do amor”

(Antônio Maria)

4927d763b7872d6c38012d48af35aa27

— “Meu único objetivo na vida é fazer minha mulher feliz. ”

Dá para acreditar que exista um homem que fale assim? Pois existe! Simpático, gentil, Valdo é o último espécime vivo do amante à moda antiga. Conversa com todo mundo na Academia de Ginástica e o assunto preferido dele é falar em Gilda, sua mulher.

“Hoje Gilda e eu fomos passear no shopping. Ela se tomou de amores por uma bolsa. Gostou? Então vamos comprar. Faço tudo o que a minha mulher quer. A esta altura da vida, para que vou guardar dinheiro? Ela é meu grande amor. Eu só vivo para ela. Não existe uma mulher como Gilda.

Valdo e Gilda se conheceram muito jovens. Ele tinha seus dezessete e cantava numa banda. Ela foi seu primeiro amor. Um pouco mais velha, não queria saber dele, era um pirralho. Linda, doce e sensual, quando jogava para trás os cabelos castanhos e ondulados, ou quando fechava suavemente os olhos, despertava as mais loucas paixões nos meninos da escola. Valdo só pensava nela, só tinha olhos para ela. Mas ela o achava muito novo e só namorava os rapazes que já estavam na faculdade. Tanto que casou com um deles.

Ah, o tempo.  Valdo casou com Ester alguns anos mais tarde, sem nunca esquecer Gilda. Casamento um pouco tumultuado, pois Ester não aceitava o lado boêmio do marido que, por sua vez, se culpava por não ser sincero com a mulher. Não a amava, só isso. Cantor e compositor, suas músicas falavam sempre de um amor impossível, de um sonho não realizado.

Um dia, leu nos jornais que Gilda havia ficado viúva. Quase sem notar, suas composições agora falavam de amor e esperança.

Separou-se de Ester e foi procurar Gilda. A diferença de idade, que antes era um empecilho, não importava mais. Gilda confessou que nunca havia esquecido aquele menino magrela, que lhe dedicava músicas de amor.

As composições de Valdo passam a ser dedicadas à mulher e ao amor que ele sente por ela. Canções de um amor franco e sincero.

Na Academia de Ginástica, o sonho das mulheres, de todas as idades, é encontrar um Valdo para si.

Se, como ele diz: não existe uma mulher como Gilda, todas elas sabem que não existe um homem como Valdo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s